Diante dos efeitos econômicos e sociais da disseminação do Coronavírus (COVID-19), a União dos Movimentos de Moradia de São Paulo (UMM-SP) protocolou, na Secretaria Estadual de Habitação de São Paulo e na Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) um ofício pela suspensão das prestações das unidades habitacionais financiadas pela CDHU, durante o período em que dure a pandemia e sua transferência para o final do contrato de financiamento.

A solicitação faz parte de um conjunto de medidas necessárias para de fato garantir que o isolamento físico preconizado pelas autoridades sanitárias seja efetivo. Essa é a melhor medida preventiva para diminuir os impactos da pandemia em nossa cidade, mas gera perda de renda das famílias mais pobres, especialmente as que tem trabalho informal e precário, bem como as que tiveram suas atividades paralisadas. As famílias mutuárias da CDHU são, em grande parte, integrantes desse grupo precarizado, de modo que a suspensão das prestações tem duplo efeito, garantir renda para a sobrevivência das famílias e tornar factível o isolamento.

Confira aqui o ofício entregue às autoridades estaduais.