A União dos Movimentos de Moradia (UMM-SP) estará ao lado de outras entidades e movimentos sociais nesta segunda-feira (5), a partir das 9h, na Praça da Sé, em um ato que marca o Dia Mundial dos Sem Teto. 

A luta dos movimentos populares em favor da moradia digna é de longa data, mas, neste ano, ganha força ainda maior por conta da pandemia do novo coronavírus, que tem desabrigado milhares devido ao desemprego e às remoções, despejos e reintegrações de posse que vêm ocorrendo mesmo com a situação de vulnerabilidade que os sem teto se encontram.

Para marcar o Dia Mundial dos Sem Teto, inúmeras entidades e movimentos populares da cidade e do campo realizarão atos nesta segunda-feira, não apenas em São Paulo mas em todo o país. Na capital paulista, o ponto de encontro de militantes da UMM-SP é em frente à Caixa Econômica Federal. 

Ainda outra pauta levantada na mobilização é o Projeto de Lei 529/2020, do governador João Doria (PSDB), que quer extinguir a CDHU, entre outros órgãos e instituições estaduais. A CDHU tem função fundamental na engrenagem de políticas habitacionais para o estado.

Dia mundial dos sem teto

O Dia Mundial do Habitat é celebrado em todo o mundo, sempre na primeira segunda-feira de outubro. Foi criado pela ONU em 1986 e tem busca promover a reflexão sobre os problemas das cidades e a moradia. No Brasil, o dia ficou conhecido como o Dia Mundial do Sem-Teto.