União dos Movimentos de Moradia
– São Paulo

Tel: 11 3667-2307 - Email: ummsp@uol.com.br

Jornada nacional de luta em defesa da moradia e da reforma urbana – 22 a 25 de abril de 2008

Enquanto morar for um privilégio, ocupar é um direito

A União Nacional por Moradia Popular – UNMP mais uma vez está nas ruas para denunciar e exigir o cumprimento do direito à moradia e à cidade. Em nossas cidades, vemos cada vez mais famílias morando nas ruas, nos cortiços, nas favelas e áreas de risco, sendo despejadas e vivendo em condições sub-humanas.

Documento Jornada Nacional

Documento Jornada Nacional – São paulo

Em São Paulo

00:05 – O Movimento Sem Terra Leste 1 ocupou um terreno da COHAB-SP, localizado na Avenida Álvaro Ramos esquina com a Rua Toledo Barbosa, ao lado da Estação Belém do Metrô. Desde 1990, o movimento reivindica a construção de moradias populares no local. Existiam projetos para a área, mas a prefeitura nunca os iniciou.
Contato: Lucimara: 11 8484-3478 ou 9200-9258 / Valdir: 11 9453-4520

23:57 – Cerca de 700 famílias do Movimento Sem Terra da Zona Oeste ocupou uma área do governo federal, localizada na Marginal Tietê, logo após a empresa Leroy Merlin, próximo a Ponte Julio Mesquita (sentido Lapa-Penha). O movimento reivindica a construção de moradias no local através de mutirão com autogestão.
Contatos: Abraão 11 7143-4011 / Vera 11 7345-2635

23:40 – A Unificação das Lutas de Cortiços acaba de ocupar um prédio da CDHU que embora concluído não foi entregue à população. O local é na Rua da Mooca, altura do n.º 3574, esquina com Rua Pires de Campos.
Contatos: Sidnei: 11 7532-0298 / Cida 11 8574-2266 A polícia está no local e pode haver confronto.

O Movimento de Moradia do Centro ocupou nesta Madrugada um prédio da Prefeitura Municipal de São Paulo, localizado na Rua Tabatinguera no centro da cidade.
Contatos: Neuma 11 9134-7339 / Luiza 11 8133-6385

Dia 23/4

A partir das 9 horas, famílias sem teto da União dos Movimentos de Moradia de São Paulo reúnem-se na Praça da Sé para uma marcha em defesa da moradia. A marcha pretende cobrar providências dos governos municipal, estadual e federal.
Contatos: Izilda: 11 9116-2274  / Ramon: 11 7652-3477

Militantes da União Estadual por Moradia Popular de Minas Gerais participam de uma audiência pública na Assembléia Legislativa. O tema é a construção o Sistema Estadual de habitação no Estado.

Dia 25/4

Em Salvador, haverá uma concentração na frente ao Shopping Iguatemi, contra o Plano Diretor de Salvador que autoriza o desmatamento de mais de 3 milhões de metros quadrados de Mata Atlântica, na Paralela, para construir condomínios de luxo, enquanto nada aponta para os sem moradia da cidade.
Contato: Sergio 71 9963-5302 ou 3328-4821

Rio de Janeiro – Ato no Governo Estadual e na Caixa em defesa da autogestão.
Contato: Jurema: 21 8161-8218 e Claudio 21 9476-5780

DIa 26/4

No dia 26 de abril, sábado, a UNIÃO Pará encerra sua Jornada de Lutas com ATO PÚBLICO no município de Barcarena, Pará, com pesquisa de campo sobre as condições de agressão ambiental e Assembléia Geral de Moradores das Comunidades do Curuperé e Arienga, atingidas pelo vazamento de caulim da Empresa Imerys.
Contato: Alcir Matos 91 8147-3944

Atividades que ocorreram dia 22 de abril:

O Forum de Cortiços (filiado a UNMP) ocupou um edifício do INSS na Rua Xavier de Toledo, centro de São Paulo, em frente à Biblioteca Mario de Andrade. A maioria dos ocupantes são idosos que são reiteradamente excluídos dos financiamentos habitacionais. Os participantes desocuparam o edifício após negociação com o INSS.
Contato: Veronica 11 9892-1491 / 9256-7127

O Movimento de Moradia da Região Sudeste (filiado a UNMP) ocupou um terreno particular desocupado na Avenida do Cursino, 7000 (em frente ao posto Texaco), na região Sudeste de São Paulo. A área está vazia há muitos anos e não cumpre a função social da propriedade. O movimento reivindica a desapropriação da área para fins habitacionais.
Contato: Dito: 11 8429-7439  e Fátima: 11 9540-1722

Em São Luis, no Maranhão, a União por Moradia Popular realiza um ato público em frente à Universidade Estadual do Maranhão, na Cidade Operaria. Cerca de 1500 pessoas estão acampadas em frente á UEMA reivindicando a destinação de áreas vazias para moradia..
Contato: Creuzamar 98 9132-1983 e José Trindade 98 9132-1986

Em Vitória-ES, a União Estadual por Moradia Popular do Espírito Santo ocupou um prédio vazio de propriedade do INSS, na Rodovia Carlos Lindemberg nº 94. O movimento reivindica a destinação da área para projetos habitacionais. Os participantes desocuparam o edifício após negociação com o INSS.
Contato: Edilza e João 27 9821-4527 / 9994-8296

Em Maceió, Alagoas, a União dos Movimentos de Moradia de Alagoas ocupou a sede do INSS no centro da capital onde conquistaram a suspensão da reintegração de posse do prédio do INSS ocupado desde 2006.

Em ato na Prefeitura de Maceió, a UMM-AL abriu negociação para o atendimento das famílias que hoje ocupam uma área da Universidade Federal de Alagoas.
Contatos: Claudio 82 9107-8258

A UNIÃO PARÁ, em Belém, organizou ATO PÚBLICO de protesto contra o início das obras do projeto de implantação do binário viário nas avenidas Pedro Álvares Cabral e Senador Lemos e a Rodovia Arthur Bernardes, tornando o fluxo de veiculo obrigatório para quem deseja chegar ao centro da cidade, sem nenhuma discussão com a população diretamente impactada e sem nenhuma sinalização de que serão criados canais de controle social, mesmo o projeto apresentando características de efeitos potencialmente negativos sobre o meio ambiente natural e construído.

A população ocupou as duas avenidas em 3 pontos, impedindo o início das obras e foi ferozmente reprimida pela tropa de choque da polícia militar do Estado, que usando spray de pimenta e balas de borrachas tentou por diversas vezes desobstruir as vias. A tensão provocada pela ação repressora da polícia foi tanta que só acalmou com a presença do Secretário Estadual de Segurança, Dr. Geraldo José de Araujo, do Comandante Geral da Polícia Militar, Coronel Luiz Cláudio Ruffel Rodrigues e do Promotor de Justiça, Dr. Jorge que reuniram-se com lideranças do movimento e acertaram a discussão de um Termo de Ajuste de Conduta e a realização de uma audiência Pública, na próxima sexta-feira, dia 25.
Contato: Alcir Matos 91 8147-3944

Em Salvador, Bahia, a União por Moradia Popular realizou uma concentração na Praça da Piedade, no Centro de Salvador, às 12 horas. Em seguida foi feita uma passeata até o Fórum Rui Barbosa, onde a liminar de reintegração da ocupação da Portelinha ( antiga Imbasa) iria ser julgada. A juíza transferiu a audiência para o próximo dia 9 de maio.

A passeata seguiu para o Ministério Público, onde uma comissão foi recebida. Foi entregue uma carta com todos os conflitos urbanos que estão em curso e a solicitação que o MP criasse um Comitê de mediação de Conflitos para sensibilizar seus Pares, nos diversos municípios baianos, além do Judiciário,  governos e os particulares envolvidos, quanto ao direito da moradia. A atividade foi encerrada na Praça Municipal, cobrando da Prefeitura cumprimento de acordos de contrapartidas já feitos com a SEHAB.
Contato: Sergio 71 9963-5302 ou 3328-4821

Às 18 horas a Associação Sem Teto de Taboão, em Diadema-SP (filiado a UNMP) e demais movimentos de Diadema realizarão um ato público em obras paralisadas da CDHU na Rua Érico Veríssimo, Bloco 23 e 24, Jardim dos Eucaliptos, Diadema, em frente a Saned.
Contato: Cida – 11 9709-5082

No dia 21 de abril, no final da tarde, o Movimento Sem Teto de Sertãozinho (filiado a UNMP) ocupou um prédio do INSS, na Ria Sebastião Sampaio, esquina com Rua Candinha Del Grande – Centro de Sertãozinho-SP. O prédio está desocupado há mais de 30 anos.
Contato: Garcia 16 9122-4676

No dia 18 de abril, a União de Santa Catarina, conquistou uma grande vitória, uma área de 18.000 m² para a Associação dos Moradores da Vila do Arvoredo, conhecida por Favela do Siri, em Florianópolis,que irá atender com moradia 180 famílias.

A União por Moradia Popular de Palmas, no Tocantins conquistou, após muita pressão junto a Prefeitura de Palmas, a destinação de um terreno para a produção de moradia popular através de mutirão e autogestão.

Contatos da Secretaria Nacional
Sede 11 3825-5725 / 11 3667-2309