União dos Movimentos de Moradia
– São Paulo

Tel: 11 3667-2307 - Email: ummsp@uol.com.br

Encontro da UMM documentos finais

Mesa_2_16_05_09.jpg
Encontro da UMM aprova jornada estadual de mobilização para Outubro

Veja o texto completo com agenda de luta e rezoluções das oficinas:
Documento final da Encontro em Word
Documento final da Encontro em .pdf

Mais de 600 delegadas e delegados reunidos na quadra do Sindicato dos Bancários na cidade de São Paulo, entre os dias 15 à 17 de maio, participaram do 11º Encontro Estadual de Moradia Popular da União dos Movimentos de Moradia de São Paulo.

Pautando o tema sobre os “desafios para a implementação das políticas de habitação” e com a presença de mais de 20 municípios, em diversas oficinas, os participantes do Encontro, fizeram um amplo balanço sobre a situação da moradia popular no Estado e das ações dos governos municipais, estadual e federal para o enfrentamento do déficit habitacional que se agrava a cada ano.

O Encontro foi unânime em sua avaliação sobre péssima atuação do governo estadual no enfrentamento de um quadro que só se agrava e deteriora. Em que pese a aprovação anual de recursos da ordem 1 bilhão de reais pela Assembléia Legislativa só para habitação popular,  o governo estadual  tem tido dificuldades de cumprir as metas Orçamentárias estabelecidas  no seu Plano Plurianual.

O representante da CDHU, Antonio Lajarin, presente ao Encontro teve dificuldades de responder sobre os problemas habitacionais do estado, como o aumento das favelas, as ameaças de despejos, a situação dos conjuntos vazios ou ocupados  sem regularização, a  falta de participação popular e a retomada do programa de habitação  com autogestão,  hoje paralisado.

A representante do Ministério das Cidades e Secretária Nacional de Habitação, senhora Inês Magalhães, ouviu também muitas reclamações dos participantes, especialmente,  no que se refere demora da publicação da Instrução Normativa do Programa Crédito Solidário, permitirá milhares de famílias construir suas moradias em regime de autogestão e também sobre os poucos recursos destinados ao Fundo Nacional de Habitação de Interesse Social, e  demora na destinação dos imóveis vazios da União para construção de moradias em áreas centrais das cidades.

O Encontrou aprovou também uma extensa agenda de lutas, tais como organização do Grito dos Sem Teto, no dia 7 de Setembro dia do Grito dos Excluídos e Excluídas e uma Grande Mobilização ao Palácio dos Bandeirantes no dia 05 de Outubro, dia Mundial dos Sem Teto.

O Encontro Elegeu sua nova Coordenação Executiva que terá a partir deste ano, 22 representantes, sendo 12 nas regiões da Capital, 5 para as macro regiões do interior, 3 para região metropolitana, 2 para os seguimentos de favelas e idosos. A Coordenação Ampliada elegeu 2 representantes por Movimento filiado.

Ao final do Encontro com muita animação alegria os delegados e delegadas aprovaram as 5 prioridades por oficina setorial e definiu o local do 12º Encontro  Estadual, que será no Município de Sertãozinho, na região de Ribeirão Preto, no ano de 2011.  

No domingo à tarde, todos participantes voltaram aos seus municípios e regiões com a sensação do dever cumprido e animados para a luta em defesa da autogestão, da moradia popular e da reforma urbana.

{gallery}XI_encontro{/gallery}
Veja a noticia do encontro que saiu no jornal O Trecheiro da rede ruaO Trecheiro junho 2009 O Trecheiro junho 2009
Veja mais fotos na galeria de imagens